Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Editora IFG lança coletânea de obras que resgatam a memória editorial e literária de Goiás
Início do conteúdo da página
Coleção Artífices

Editora IFG lança coletânea de obras que resgatam a memória editorial e literária de Goiás

Obras tiveram suas primeiras edições publicadas na antiga gráfica da Escola Técnica, entre os anos de 1949 e 1969

  • Criado: Sexta, 20 de Agosto de 2021, 16h30
  • Última atualização em Terça, 21 de Setembro de 2021, 09h45
imagem sem descrição.

A Editora do Instituto Federal de Goiás (IFG) lançou nesta quinta-feira, 19 de agosto, a Coleção Artífices. Resgatando a história literária e a memória editorial da Instituição e de Goiás, a coletânea apresenta ao grande público dez obras anteriormente publicadas na antiga gráfica da Escola Técnica de Goiânia e, depois, Escola Técnica Federal de Goiás, entre os anos de 1949 e 1969.  As obras podem ser acessadas e baixadas, gratuitamente, no site da Editora IFG. (Clique aqui e acesse)

A coletânea foi lançada durante o II Colóquio de Poesia Goiana, por meio de transmissão feita pelo YouTube, no canal Rede Poesia. Participaram do lançamento o reitor do IFG, professor Jerônimo Rodrigues da Silva; a professora da Universidade Federal de Goiás, Goiandira Ortiz; a professora Marcela Matos, do Câmpus Uruaçu do IFG; e três escritores e poetas homenageados com a publicação de suas obras na Coleção: Edir Guerra Malagoni, autora de Tardes do nada; Geraldo Coelho Vaz, autor de Poemas da ascensão; e Gilberto Mendonça Teles, autor de Alvorada. O diálogo entre os autores foi mediado por Olliver Robson Mariano Rosa, revisor da Editora IFG, idealizador e um dos coordenadores da publicação.

 

Literatura, cultura, história e memória

Para o professor Jerônimo Rodrigues, participar do lançamento da Coletânea foi um momento de grande satisfação. Contando a respeito do momento em que a professora Vanderleida, coordenadora da Editora IFG, falou sobre a publicação, Jerônimo pontuou: “quando a professora Vanderleida nos trouxe essa notícia, sobre o lançamento, eu fiquei muito satisfeito. Entendo que essas histórias têm que ser contadas. Não é só o lançamento; é a forma como essa coleção chega aos senhores e senhoras. Ela envolve, além do caráter literário, a nossa cultura, a Academia, a pesquisa científica. Tudo isso somado compõe a Coleção Artífices, um grande momento da nossa história e, logicamente, da Rede Federal.”

Goiandira Ortiz, professora de Teoria Literária da Universidade Federal de Goiás e uma das coordenadoras da Coleção, chamou atenção para o fato de que todos os envolvidos na publicação estavam afinados em “não deixar a história literária se perder, ser esquecida”. Como destacou a docente: “essa coleção envolve a valorização da literatura goiana, a literatura feita em Goiás, não deixar a nossa história literária se perder, trazer alguns autores que ficaram circunscritos a um período da história e, também, envolve a lembrança, a rememoração, a celebração da história da produção gráfica em Goiás”.

Destacando a importância da gráfica da Escola Técnica, Goiandira afirmou: “O IF lá atrás, como Escola Técnica, tem uma importância na construção do nosso sistema literário, à medida que foi um agente importante no sentido de termos poetas e meios de produção. E a Escola Técnica, lá atrás, fez esse papel de criar condições, por meio de um parque gráfico que oferecia serviço e iniciava como editora comprometida com a cultura de um estado.”

A professora da UFG finalizou sua fala reforçando que “a iniciativa da Editora IFG de publicar esse box, liderada pela equipe da professora Vanderleida, é digna de nosso louvor, de nossas palmas, nossos aplausos. Nesse sentido, parabenizo a Editora IFG. Que tenha o reconhecimento e alcance o sucesso que ela merece por tudo aquilo que ela traz de história, de identidade, da nossa cultura, da construção da nossa cidadania cultural. Isso é importante!”

Para a professora Marcela Matos, do Câmpus Uruaçu, também responsável pela Coleção Artífices, “foi uma honra receber o convite e participar dessa organização, que é tão importante para a nossa Instituição, para a Editora IFG, para a história da literatura e para a literatura nacional. Eu só tenho a agradecer; realmente estou muito feliz por ter participado dessa Coleção, que é um marco histórico da literatura e também da Editora IFG.”

 O poeta, crítico literário e professor Gilberto Mendonça Teles, que também participou do lançamento, ressaltou sua alegria ao ver o Instituto Federal de Goiás fazendo algo que, segundo ele, foi cobrado da Universidade em 1965: “não deixar de lado a literatura. Não deixar a literatura fora da universidade”. Ressaltando a importância de trazer a literatura para perto, o professor parabenizou o IFG, que agora lança a Coletânea Artífices, resgatando a memória literária de Goiás.

O poeta Geraldo Coelho Vaz, autor de Poemas da ascensão, chamou atenção para a importância da publicação da coletânea: “é uma grande riqueza para a literatura do estado de Goiás. O IFG está fazendo um benefício muito grande para a história de Goiás”.

A poetisa Edir Guerra Malagoni, autora de Tardes do nada, destacou o quanto foi importante para ela, em 1965, ser publicada pela primeira vez, por meio da gráfica da antiga Escola Técnica Federal; e destacou a surpresa por ter agora seu livro reeditado: “a publicação do meu livro em 1965 foi uma realização. E ter uma nova reedição foi uma surpresa: uma grata e grande surpresa”.

 

Coleção Artífices

Produzida pela Editora IFG, a Coleção Artífices é composta por 10 livros literários produzidos e publicados pelo setor de Tipografia e Encadernação da Escola Técnica de Goiânia (ETG) e da Escola Técnica Federal de Goiás (ETFG), entre os anos de 1949 e 1969.

Como explicou Olliver, durante o lançamento da publicação, “os livros agora disponíveis ao público saíram em primeira edição, entre os anos de 1949 e 1969, graças ao trabalho dos aprendizes e artífices, os alunos dos cursos técnicos de tipografia e encadernação e artes gráficas. Começou em Goiás e continuou aqui em Goiânia após a transferência da capital”.

A coletânea, coordenada por Olliver Mariano (Editora IFG) e pelas professoras Marcela Matos (IFG/Câmpus Uruaçu) e Goiandira Ortiz (UFG), envolveu também a Rede Goiana de Pesquisa sobre Ensino e Leitura de Poesia e algumas editoras da Rede Federal, como a Editora IFPB, Editora IFAC, Editora IFAP, Editora IFSP e Editora IFS.

Como destacou Vanderleida Rosa de Freitas e Queiroz, coordenadora da Editora IFG, “com a Coleção Artífices, buscamos resgatar a memória editorial de nossa instituição e prestar uma homenagem a escritoras e escritores que fizeram e fazem parte do patrimônio artístico e cultural de nossa terra. Para além desse objetivo, buscamos dar visibilidade aos produtos artísticos como forma de resistir ao processo de desvalorização desses produtos em nossa história recente e afirmar a arte literária como trabalho dos mais importantes para a constituição de nossa humanidade.”

 

Obras, estudos e projeto gráfico

A Coleção Artífices contempla as seguintes obras: Vibrações, de José Lopes Rodrigues (1949); Lendas de minha terra, de Mário Rizério Leite (1951); Primeira chuva, de Bernardo Élis (1955); Alvorada, de Gilberto Mendonça Teles (1955); Poemas da ascensão, de Coelho Vaz (1963); Caminhos de mim, de Yêda Schmaltz (1964); Tempo maior, de Ciro Palmerston Muniz (1965); Tardes do nada, de Edir Guerra Malagoni (1965); Madrugada, de Sílvia Nascimento (1968) e Vida, de Nita Fleury Curado (1969).

Além dos textos originais, cada livro conta com um estudo elaborado por convidados ligados a instituições de ensino e de pesquisa, um prefácio redigido por autores da literatura goiana e a reprodução de matérias de jornais, críticas publicadas à época e demais recortes sobre as obras reeditadas. Como pontua Vanderleida, “trata-se, portanto, de uma coleção de caráter literário, cultural e acadêmico-científico”.

Segundo Olliver Robson Mariano, o projeto gráfico da Coleção foi feito a partir de xilogravuras produzidas nos cursos técnicos integrados ao ensino médio do Câmpus Aparecida de Goiânia, sob a supervisão do professor Alexandre Guimarães. Parte do material produzido pelos discentes foi enviado para a equipe gráfica da Editora, que produziu as capas das obras.

 

Da pesquisa de iniciação científica à publicação

O projeto que levou à reedição das obras da Coleção Artífices, como destacou um dos coordenadores da publicação, Olliver Robson Mariano Rosa, está relacionado a uma pesquisa de iniciação científica desenvolvida no IFG, que contou com a orientação do próprio Olliver e da professora Marcela Matos, no ano de 2018. A pesquisa intitulada “Primeiras impressões: a importância das obras literárias publicadas por autores goianos por meio da Escola Técnica de Goiânia no período de 1949 a 1969” foi desenvolvida pelas alunas Nara Rúbia Santos Rabelo e Liza Oliveira Alvarenga, do Câmpus Goiânia.

Na pesquisa, foram abordados livros literários produzidos e publicados pelo setor de Tipografia e Encadernação da Escola Técnica de Goiânia (ETG)/Escola Técnica Federal de Goiás (ETFG), entre os anos de 1949 e 1969, que agora, depois de um esforço coletivo em prol da reedição de algumas obras, vêm ao público por meio da Coleção Artífices.

Falando a respeito da publicação da Coleção, Olliver afirma: “estou tão feliz por estar saindo essa coleção, porque deu um trabalhinho bom. Ver o resultado de algo que levou tempo para se concretizar é uma satisfação grande. Nossa escola, nosso Instituto teve um papel muito importante na literatura do estado, na cultura do estado, algo que às vezes é esquecido. E é importante resgatar essa memória e destacar para a sociedade que nós somos uma instituição centenária que tem contribuído há muito tempo com a construção da nossa identidade, da nossa memória, da nossa história.”

 

Acesso à Coleção

A Coleção está disponível para download gratuitamente no site da Editora IFG neste link: Coleção Artífices . Quanto às obras impressas, Olliver explica que “a impressão será iniciada e até o início de novembro os livros impressos devem estar prontos. Toda a tiragem se destinará à doação para as bibliotecas públicas de Goiás e da Rede Federal.”

 

Para conferir a transmissão do lançamento da Coleção Artífices, acesse: Prosa com poetas | Poesia no tempo e no espaço: o poema na página - YouTube

 

 

 

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.
 

 

Fim do conteúdo da página