Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Projeto CoNvida leva informação acessível sobre cuidados com a Covid-19 à periferia
Início do conteúdo da página
EXTENSÃO

Projeto CoNvida leva informação acessível sobre cuidados com a Covid-19 à periferia

Criado: Terça, 28 de Julho de 2020, 15h16 | Última atualização em Quinta, 06 de Agosto de 2020, 15h43

Iniciativa é promovida pelo Negra IFG - Câmpus Goiânia, a convite da Equipe de Atenção à Saúde Psicossocial da Secretaria Municipal de Saúde e do Conselho Municipal de Saúde de Goiânia

imagem sem descrição.

Com o intuito de levar informação sobre os cuidados diante da pandemia de Covid-19 às populações mais periféricas e, consequentemente, mais expostas ao contágio da doença, o Núcleo de Estudos das Relações de Gênero, Raciais de Afrodescendências do Câmpus Goiânia do Instituto Federal de Goiás (Negra) promove o projeto CoNvida - periferias conectadas pela vida. Os conteúdos informativos estão disponíveis no Instagram @CoNvidaFacebook do projeto.

Nos perfis, é possível encontrar dicas de como manter o distanciamento social e os cuidados básicos para evitar o contágio da doença mesmo para aqueles que precisam sair para trabalhar, usar transporte público, entre outras situações que impossibilitam o isolamento em suas respectivas casas. Moradores das comunidades goianas ganham voz nas plataformas ao enviarem vídeos com dúvidas que são respondidas por profissionais da Secretaria Municipal de Saúde.

A ideia de disponibilizar perfis nas redes sociais com informações em linguagem acessível às comunidades mais vulneráveis em Goiás surgiu da preocupação com a disseminação da covid-19 nos bairros mais periféricos. Isto porque nessas regiões está a população com maior probabilidade de contágio, tendo em vista que boa parte está em empregos nos setores considerados emergenciais pelas legislações locais, além da pouca instrução devido à dificuldade de acesso à educação e outras fontes de formação.

Foi então que a Equipe de Atenção à Saúde Psicossocial da Secretaria Municipal de Saúde e o Conselho Municipal de Saúde de Goiânia convidaram o Negra a desenvolver o projeto. “A equipe identificou e articulou várias pessoas estratégicas e coletivos periféricos, para dar início a este projeto de educomunicação em saúde”, explica a professora do Câmpus Goiânia e membro do Negra, Janira Sodré.

Segundo a docente, o projeto consiste em utilizar o poder das redes sociais, aliado à educação e comunicação para transmitir conteúdos de prevenção e cuidados com o contágio da covid-19. “Consiste em reduzir e prevenir danos em saúde, ocasionados pelo contágio do Covid-19, em ambientes de periferia, pela comunicação de conteúdos técnicos e científicos, em linguagem acessível, afetiva e focada na identidade da periferia”, complementa.

Além da Secretaria Municipal de Saúde, a ação conta com parceria de entidades como o Ministério Público do Trabalho em Goiás, a Organização não governamental Cajueiro, a Rede Goiana de Mulheres Negras e os Coletivos Quilombo e Novembro Negro. As postagens nos perfis têm previsão de continuar até setembro, com possibilidade de extensão para dezembro.

Para Janira, o projeto é válido pois atinge um público que possui vulnerabilidades. “A iniciativa é fundamental para enfrentar a dramática situação de calamidade em que nos encontramos. Quando já está óbvio que as desigualdades sócio-econômicas e raciais são determinantes de saúde e doença e de taxas mais elevadas de letalidade entre os mais pobres e negros.”

Além de informar em relação à pandemia, a professora acredita que o projeto dá visibilidade ao IFG e mostra às comunidades carentes as possibilidades que a instituição oferece. “O projeto é significativo e cumpre um papel institucional importante ao posicionar o IFG junto à sociedade, com foco nas camadas mais vulneráveis e territórios mais necessitados de atenção em saúde preventiva. O projeto leva o IFG em todas as suas ações. E divulga certamente. Para nós é bem importante que adolescentes e jovens desses territórios periféricos conheçam o IFG e queiram ser parte de nossa comunidade institucional, queiram estudar aqui. Se reconheçam e nos reconheçam como parte da mesma comunidade educativa.”

Saiba mais sobre o projeto e acompanhe as postagens no Instagram e no Facebook.

 

Coordenação de Comunicação Social do Câmpus Goiânia.

 

 

 

Fim do conteúdo da página