Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página

Programa MATUTANDO: diálogos formativos Ep 57 (22-10-2021)

Criado: Quinta, 21 de Outubro de 2021, 15h56 | Última atualização em Segunda, 08 de Novembro de 2021, 12h58
Episódio 57 (22-10-2021) - MATUTANDO: diálogos formativos - Escola pública: militarizar pra quê?
 

Neste 57º EPISÓDIO, a prof.ª Daniela Rodrigues de Sousa (PUC-Goiás/IFG/Kadjöt) e a prof.ª Neusa Sousa Rêgo Ferreira (Professora e Pedagoga) vão matutar sobre a militarização da educação, um processo pelo qual escolas públicas vinculadas às secretarias das redes estaduais, distrital e municipais de educação implementam parcerias com as forças de segurança pública que passam a administrar essas escolas. Em Goiás, havia 6 escolas militares em 2001. Em 2018, esse número já era de 78. Entre 2015 e 2018 houve a militarização de 51 escolas. O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares, instituído pelo Decreto Federal número 10.004, de 2019, é resultado de uma parceria entre o Ministério da Educação e o Ministério da Defesa. Esse programa propõe “implantar 216 Escolas Cívico-Militares em todo o país, até 2023, sendo 54 por ano”. Essa parceria apresenta um conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares. Questiona-se: o que está por trás do processo de militarização da educação pública?  Qual o impacto desse processo para a educação brasileira?

Fim do conteúdo da página