Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Servidor > IFG > Últimas notícias > A importância do conhecimento, da criticidade e da educação marca as discussões do primeiro dia do Encontro dos Projetos da EJA
Início do conteúdo da página
EJA

A importância do conhecimento, da criticidade e da educação marca as discussões do primeiro dia do Encontro dos Projetos da EJA

Evento termina nesta quinta-feira e será transmitido integralmente pelo canal Ead IFG no YouTube

Professor Carlos Rodrigues Brandão (Unicamp) durante o I Encontro do Centro-Oeste dos Projetos da EJA Integrada – EPT
Professor Carlos Rodrigues Brandão (Unicamp) durante o I Encontro do Centro-Oeste dos Projetos da EJA Integrada – EPT

O reconhecimento a respeito dos desafios na Educação de Jovens e Adultos durante a pandemia da Covid-19, a importância do conhecimento e da criticidade e a necessidade de oferecer educação para todos foram alguns dos temas que estiveram presentes neste primeiro dia do I Encontro do Centro-Oeste dos Projetos da EJA Integrada – EPT. O evento reúne Institutos Federais do Centro-Oeste e traz em sua programação atividades relacionadas à Educação de Jovens e Adultos e à Educação Profissional e Tecnológica, com o propósito de defender a construção da Política de Formação Integral e Integrada da EJA/EPT.

O Encontro foi iniciado nesta quarta-feira, às 17h, com um painel de “Relatos de experiências” com discentes dos Projetos EJA do IFG, IFMT, IFB e IFMS. Do IFG, participaram os alunos da EJA dos câmpus Luziânia, Vitorino Pereira dos Santos Almeida; Inhumas, Patrícia Inácia dos Reis; e Senador Canedo, Rafael Silva Nagoda; Do IFMT, IFB e IFMS, participaram, respectivamente, Inez Deliberaes, Maria Elenilda Moreira Carvalho (egressa) e Miriã Alves Gomes.

Na atividade, os discentes falaram sobre as dificuldades no âmbito da EJA durante a pandemia. Para o Sr. Vitorino, aluno do Câmpus Luziânia, “as aulas on-line estão sendo um grande desafio”, mas, mesmo com os desafios dos aplicativos, Vitorino destacou que quer continuar os estudos e fazer um curso superior. Maria Elenilda, egressa do IFB, relatou que “estudar durante a pandemia não foi fácil”. Contudo, a ex-aluna do IFB lembrou que tentou aproveitar o tempo da pandemia para colocar os conhecimentos adquiridos em prática e aprimorar: “montei meu ateliê no período”. A ex-aluna, ao final da sua fala, deixou clara uma vontade: “desejo que as pessoas voltem a estudar. Nunca é tarde para realizar seus desejos”.

Miriã Gomes, aluna do curso técnico de Informática do IFMS, em uma fala repleta de emoção, chamou atenção para as diversas dificuldades existentes nessa volta aos estudos. A aluna, inclusive, ressaltou as dificuldades no seu curso, no qual não há tantas mulheres, mas destacou a importância do estudo, do apoio dos professores e da Instituição e reforçou: “estudar é direito de todos”.  A mesa-redonda pode ser conferida na íntegra no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=uTiVYz8NHQw

 

Cerimônia de abertura

A solenidade de abertura do Encontro iniciou-se às 19h. Estiveram presentes, além da reitora do IFG, Oneida Cristina Irigon, as reitoras do Instituto Federal de Brasília, Luciana Miyoko Massukado, e do Instituto Federal do Mato Grosso do Sul, Elaine Borges Monteiro Cassiano. A pró-reitora de Ensino do IFMT, professora Luciana Klamt, representou o reitor do Instituto Federal do Mato Grosso, Julio Cesar dos Santos. Participou também da solenidade o secretário adjunto de Educação Básica do Ministério da Educação (SEB/MEC), Helber Ricardo Vieira e o diretor do Câmpus Luziânia, professor Reinaldo Reis, que na ocasião representou os diretores-gerais dos câmpus do IFG.

Durante a solenidade, os gestores lembraram a importância do público da EJA e chamaram atenção para a necessidade de fortalecer e avançar nessa área da educação de jovens e adultos. A pró-reitora de Ensino do IFTM destacou a importância do Centro-Oeste se reunir para dialogar sobre a oferta da EJA: “os nossos Institutos precisam interagir cada vez mais com os jovens e adultos”. Luciana Massukado lembrou a importância da busca pelo conhecimento. Mencionando a “Pedagogia do Ser Mais”, de Paulo Freire, a reitora destacou a importância da concepção de que o ser humano é um projeto em constante construção e que o caminho se faz com o outro, no diálogo e no exercício da liberdade no trabalho com a EJA.

Oneida Irigon, reitora do IFG, relembrou em sua fala a importância da integração da EJA à educação profissional. Segundo a docente, esse movimento impõe aos gestores públicos diversos desafios, como formação do profissional para lecionar para esse público, integração curricular, desenvolvimento de metodologias de ensino específicas, infraestrutura das escolas.

Como destacou a reitora, é preciso “possibilitar cada vez mais um avanço na educação pública, gratuita e de qualidade socialmente referenciada para os jovens e adultos que vislumbrem a formação técnica para alçar seu ingresso no mundo do trabalho com uma qualificação que possibilite a melhoria de sua vida profissional, financeira, mas principalmente a sua emancipação por meio de um conhecimento critico, integral e integrado para contribuir na melhoria da sociedade mais igualitária, justa e humanizada”.

Logo após a solenidade com os gestores, o professor Carlos Rodrigues Brandão (Unicamp) abriu sua fala deixando claro que não iria fazer uma conferência e falar necessariamente sobre o tema “Políticas da Educação de Jovens e Adultos e Diretrizes orientadoras da Rede Federal de Ensino”. Provocando uma reflexão, o docente convidou as pessoas que assistiam ao evento a pensar sobre quem é o público que frequenta a EJA. Chamando atenção para a necessidade de aprender com os discentes, saber de onde eles são, Carlos Brandão ressaltou a importância do pensamento antropológico. Propondo o pensamento crítico sobre o país e o mundo, o docente lembrou: “Nós temos que olhar criticamente não só o Brasil, mas o mundo inteiro”. Como destacou o antropólogo, é preciso questionar “que mundo é esse?”. A atividade mediada por Tauã Carvalho de Assis, docente do IFG, pode ser conferida no link: https://www.youtube.com/watch?v=fPi_ssaNQ6A

 

Programação

Nesta quinta-feira, a partir das 10h, será realizada uma mesa-redonda sobre os Fóruns de EJA do Brasil. Na atividade, a professora Maria Luiza Pinho Pereira (UnB) e o professor Rones de Deus Paranhos (UFG) falarão sobre os Fóruns de EJA do Brasil, focando a questão das lutas e resistências nas políticas públicas dessa área. A partir das 14h30, acontecerá realizada um painel com professores da EJA/EPT do IFG, IFMT, IFMS e IFB. Na ocasião, Lemuel da Cruz Gandara (IFG); Silvia Maria Stering (IFMT); Luciano Rodrigues Duarte (IFMS); e Adriano S. B. de Oliveira (IFB) falarão sobre suas práticas docentes tendo a EJA como centro de suas reflexões.

Às 17h, será realizada a mesa-redonda “Permanência e êxito na EJA”. Na atividade, teremos o professor e pró-reitor de Ensino do Instituto Federal Fluminense, Carlos Arêas (IFF), e Josué Vidal Pereira, professor do IFG. O mediador da mesa será o professor Joel Barbosa Ferreira (IFMS).

Na última atividade do Encontro, às 19h45, será realizada uma conferência sobre “Formação de Professores e Diretrizes Curriculares”. Falarão sobre o tema as docentes Jane Paiva (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) e Márcia Castilho de Sales (Secretaria de Educação do Distrito Federal). Mediará a atividade a professora e pró-reitora de Ensino do IFG, Maria Valeska Lopes Viana.

 

Realização

O I Encontro é uma realização do Projeto Formação EJA/IFG e tem o apoio do Instituto Federal de Brasília, Instituto Federal de Mato Grosso e do Instituto Federal do Mato Grosso do Sul. Ainda apoiam o evento a Secretaria de Estado de Educação de Goiás (SEDUC) e as Secretarias Municipais de Educação de Goiânia, Inhumas, Luziânia, Senador Canedo, Novo Gama e Cidade Ocidental.

 

 

 

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.

 

Fim do conteúdo da página