Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Aluno > IFG > Últimas notícias > Estudantes do IFG e suas equipes conquistam 1º e 2º lugares no 1º Ideathon Lab Saúde
Início do conteúdo da página
Premiação

Estudantes do IFG e suas equipes conquistam 1º e 2º lugares no 1º Ideathon Lab Saúde

A equipe Real Blue, vencedora em 1º lugar, criou um dispositivo para descontaminação do ar. A 2ª equipe classificada desenvolveu um ecossistema para controle de aglomerações em ambientes

Estudantes do Câmpus Goiânia do IFG e suas equipes receberam prêmios no 1º Ideathon Lab Saúde, promovido pela UFG.
Estudantes do Câmpus Goiânia do IFG e suas equipes receberam prêmios no 1º Ideathon Lab Saúde, promovido pela UFG.

Alunos do Câmpus Goiânia do Instituto Federal de Goiás (IFG) e mais estudantes de outras instituições de ensino e profissionais foram vitoriosos no 1º Ideathon Lab - Soluções Inovadoras de Prototipagem para Saúde, promovido pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Os estudantes da equipe Real Blue: Thiago da Silva Teixeira (Engenharia de Controle e Automação  do IFG - Câmpus Goiânia), Eduardo Silvestre Pires Gonçalves (Engenharia da Computação da UFG) e Nathália Witkowski Martins Cardoso (Enfermagem da UFG) conquistaram o 1º lugar no desafio e criaram um dispositivo para descontaminação do ar. O 2º lugar ficou com a equipe Indene Tech composta pelo estudante Caio Camilo de Sousa e Silva (Engenharia de Controle e Automação do IFG – Câmpus Goiânia) e pelos egressos do curso de Engenharia de Controle e Automação, Áttyla Fellipe Sousa e Estevão Fonseca Veiga.

O 1º Ideathon Lab Saúde, realizado pela UFG entre 29 de maio e 8 de agosto, foi uma maratona online que teve por objetivo o desenvolvimento de soluções capazes de atender a necessidades da saúde pública. A competição integrou também a programação da edição virtual da Campus Party Goiás 2020.

A premiação do 1ºIdeathon Lab Saúde ocorreu no dia 8 de agosto, e conquistou o 1º lugar a equipe Real Blue, responsável pela criação de um protótipo de um dispositivo de radiação ultravioleta para a descontaminação do ar. Segundo o estudante do Câmpus Goiânia do IFG e integrante da equipe vencedora, Thiago da Silva Teixeira, o objetivo do time era aliar conhecimentos de software, hardware e saúde para enfrentar a maratona. Os estudantes se reuniram virtualmente para desenvolver uma tecnologia que levasse em conta o cenário da pandemia de Covid-19, mas que também pudesse contribuir na prevenção de outras doenças.

“Foi aí que pesquisando, conhecemos a luz ultravioleta UVC, pesquisamos, lemos e discutimos até chegar no dispositivo de descontaminação do ar. O funcionamento é bem simples: o ar contaminado é aspirado para dentro do tubo, onde se encontra a lâmpada, recebe a dose de radiação necessária e sai pela outra extremidade do tubo. O dispositivo é capaz de eliminar não só as partículas do novo coronavírus, mas também da tuberculose e da rinite”, explica Thiago Teixeira.

Na foto ( da esquerda para direita), os estudantes: Thiago da Silva Teixeira (Engenharia de Controle e Automação IFG -Câmpus Goiânia), Eduardo Silvestre Pires Gonçalves (Engenharia da Computação UFG) e Nathália Witkowski Martins Cardoso (Enfermagem UFG).
Na foto (da esquerda para direita), os estudantes: Thiago da Silva Teixeira (Engenharia de Controle e Automação IFG - Câmpus Goiânia), Eduardo Silvestre Pires Gonçalves (Engenharia da Computação - UFG) e Nathália Witkowski Martins Cardoso (Enfermagem -UFG) - Crédito/Foto:Divulgação.

 

O grupo disputou a maratona online, que teve a participação de 53 equipes e o total de 183 inscritos. O desafio envolveu etapas de ideação, desenvolvimento, seleção, prototipagem e validação, além do julgamento das soluções desenvolvidas por uma banca final.

Apenas três equipes foram as vencedoras da competição: Real Blue (1º lugar), Indene Tech (2º lugar) e Oxipro (3º lugar). As duas primeiras equipes vencedoras contam com a participação de alunos e egressos do curso de Engenharia de Controle e Automação do Câmpus Goiânia do IFG.

“A vitória em 1° lugar, representa, trabalho em equipe, determinação e dedicação, pois sem o esforço de cada um da equipe, não conseguiríamos alcançar essa posição. Na etapa de desenvolvimento e validação, tivemos a ajuda do meu amigo e colega de câmpus, Matheus Aguirre, ajuda na qual nossa equipe é muita grata”, destaca o estudante Thiago Teixeira. A equipe Real Blue, primeira colocada, recebeu prêmio no valor de R$ 5 mil. Os estudantes almejam criar uma empresa e investir o prêmio na ideia, além de buscar investidores e patrocinadores, para que possam obter a certificação de órgãos competentes que autorizem a produção do dispositivo de descontaminação do ar, com objetivo de comercializá-lo.


2º lugar

A equipe Indene Tech, que conquistou o 2º lugar no 1º Ideathon Lab Saúde, é integrada pelo aluno de Engenharia de Controle e Automação do Câmpus Goiânia do IFG, Caio Camilo de Sousa e Silva, e pelos egressos do mesmo curso, Estevão Fonseca Veiga e Áttyla Fellipe Sousa Lino. O time recebeu o prêmio de R$ 3 mil pela classificação em 2º lugar na competição.

Na foto ( da esquerda para direita): Caio Camilo de Sousa e Silva (Engenharia de Controle e Automação  IFG – Câmpus Goiânia), e os pelos egressos do IFG, Áttyla Fellipe Sousa Lino e Estevão Fonseca Veiga (Crédito/Foto:Divulgação).
Na foto ( da esquerda para direita): Caio Camilo de Sousa e Silva (Engenharia de Controle e Automação IFG – Câmpus Goiânia), e os egressos do IFG, Áttyla Fellipe Sousa Lino e Estevão Fonseca Veiga  - Crédito/Foto:Divulgação.

 

O estudante Caio Camilo explica que a equipe desenvolveu não apenas um dispositivo, mas sim um ecossistema. “ A nossa solução é o gerenciamento inteligente de aglomeração em estabelecimentos, como shoppings, supermercados, bibliotecas e muitos outros, para que a quantidade de pessoas nesses locais não ultrapasse o limite estipulado em lei e ou pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Assim, a sociedade e os gestores do local podem ter acesso a esses dados em tempo real e tomar as melhores decisões”.

A solução desenvolvida prevê a construção de um dispositivo a ser instalado em portas internas e externas de estabelecimentos, para a contagem de pessoas, identificando se a pessoa está saindo ou entrando do local e utilizando uma câmera acoplada de baixo custo e inteligência artificial. A solução seguiria a regras da Lei Geral de Proteção de Dados, não armazenando dados de biometria facial.

“O gestor teria um app em que ele pode ver em tempo real a quantidade de pessoas que estão no local e, quando o local atingisse lotação máxima, ele seria notificado, com isso pode tomar decisões importantes como, por exemplo: alocações de caixa para diminuir filas e evitar assim aglomerações, ou fazer limpeza inteligente de acordo com o uso dos locais”, explica Caio Camilo. A solução desenvolvida pela Indene Tech inclui a criação de um site em que as pessoas teriam a possibilidade de consultar em tempo real a lotação de um estabelecimento, verificando a segurança sanitária do local.

Além do site, a equipe criou também um perfil no Twitter da Indene Tech, que visa informar quando os locais atingirem a lotação máxima ou quando eles passarem a estar seguros novamente. Desse modo, o usuário poderia seguir e fazer essa consulta pela hashtag do local. Também foi proposta a criação de um chatbot no WhatsApp, que visa colher informações para gerenciamento inteligente de horários, tirar dúvidas dos usuários e redirecioná-los para outras formas de atendimento, em caso de lotação do estabelecimento monitorado.

Para o estudante Caio Camilo, participar do evento foi muito gratificante. “Pude rever meus amigos que hoje são egressos do IFG, fazer algo de relevante para a sociedade nesses tempos difíceis e ainda ter tido mentorias e utilizado a estrutura do IPE Lab da UFG”.

Em terceiro lugar do 1º Ideathon Lab Saúde, classificou-se a equipe Oxipro formada pelos estudantes: Douglas Vieira Thomaz (Farmácia – UFG), Uriel Abe Contardia (Engenharia Eletrônica- UTFPR), Mateus Morikaw (Engenharia Eletrônica – UTFPR) e Bruno Brunelli (Engenharia Eletrônica – UTFPR). O grupo desenvolveu um oxímetro de pulso wireless para monitoramento de doentes de Covid-19.

Entre as cinco equipes finalistas que chegaram à última etapa da competição, classificou-se também outro estudante do IFG: Matheus Cardoso de Freitas ( Engenharia Mecânica IFG - Câmpus Goiânia ) e Paulo Henrique Cardoso de Souza (UFG). A dupla desenvolveu uma máquina emissora de radiação UV-C para desinfecção a seco de papéis e livros. Todas as equipes que participaram da competição receberam certificados.

 

Coordenação de Comunicação Social do Câmpus Goiânia do IFG, com informações do site da UFG.

Notícias (Aluno)

Comunicados (Aluno)

Fim do conteúdo da página